COMPARTILHE

  Ok
COMPARTILHE

Alvenaria Estrutural

No sistema convencional de construção, as paredes apenas fecham os vãos entre pilares e vigas, elementos encarregados de receber o peso da obra. Por outro lado, na alvenaria estrutural esses elementos são desnecessários.


ALVENARIA  ESTRUTURAL  NÃO  ARMADA

 

  
     Para erguê-las, é preciso usar blocos especiais, mais resistentes que as peças de vedação. Eles podem ser de concreto, cerâmicos, sílico-calcários ou de concreto celular, sendo também possível recorrer aos tijolos maciços, assentados com juntas desencontradas e amarrados com ferragens. A utilização desse sistema permite diminuição significativa no custo da obra, porém é preciso que os projetos, mais detalhados, já sejam elaborados considerando a modulação dos blocos e as características da solução, pois as etapas de construção são diferentes.
     A alvenaria estrutural também possibilita economia no tempo de execução e na mão de obra. Como são furados, os blocos permitem a passagem de ferragens (quando necessárias) e de instalações elétricas e hidráulicas, evitando quebras posteriores nas paredes. Dessa forma, quando totalmente erguida, a superfície está pronta para receber revestimento de gesso e, depois, pintura, dispensando reboco e massas grossa e fina.
     Contudo, a alvenaria estrutural pode apresentar limitações para a realização futura de reformas e mesmo ampliações na construção; para estas últimas, uma boa alternativa é já considerar eventuais modificações durante a elaboração do projeto.
      A seqüência esquemática deste processo dá-se da seguinte forma:
     • executa-se o baldrame, nivelando sua superfície e impermeabilizando-o normalmente;
     • procede-se o assentamento dos blocos-chave, situados nos cantos internos e em cada encontro das paredes internas; eles devem ser assentados conforme a planta de modulação, marcando exatamente a posição das paredes. É importante o nivelamento entre eles;
     • entre os blocos-chave são assentados os blocos da primeira fiada, na quantidade exata da planta de modulação, com 1cm de junta vertical;

wpeB.jpg (4276 bytes)

 

     • nos cantos da edificação colocam-se gabaritos de altura, com marcação das fiadas a cada 12,5cm;
     • levantam-se, em cada encontro, quatro fiadas (com 0,50m de altura) em forma de escantilhão, sendo mantido o nível e o prumo das fiadas. Nos cantos externos os blocos são amarrados entre si pelo sistema de assentamento; nos encontros da paredes internas com a alvenaria da fachada a amarração é feita com ferros (¼") em forma de dois "L" (0,50 x 0,50m) a cada 3 fiadas (obedecendo-se detalhes do calculista);
     • no assentamento das demais fiadas, a linha de nível na aresta dos blocos dos escantilhões manterá toda a alvenaria no nível e prumo requeridos;

 

wpeA.jpg (5437 bytes)

 

     • levanta-se a alvenaria até a fiada correspondente à base da laje do piso superior;
     • executa-se a montagem das fôrmas para a laje (que pode ser de qualquer tipo);
     • com auxílio de uma régua ou nível, marca-se, no bloco da fachada, a posição exata da parede interna. Estando ela assentada no prumo, a posição marcada estará aprumada com a aresta do bloco-chave da primeira fiada;
     • contra-verga: faz-se o enchimento dos blocos em canaleta com armação de ferro corrido (especificado pelo calculista), com avanço de 1 e ½ bloco de cada lado do vão;
     • verga: se necessário, faz-se o enchimento dos blocos em canaleta com armação de ferro corrido (especificado pelo calculista), com avanço igual ao da contra-verga. Utilizam-se canaletas duplas ou triplas para vãos acima de 1,50m;

wpeD.jpg (13108 bytes)

 

     • procede-se à concretagem da laje de piso;
     • os blocos-chave dos cantos externos são assentados conforme as faces da alvenaria e a planta de modulação;
     • com o auxílio de um nível de bolha, transfere-se daí o assentamento dos blocos-chave, que devem estar nivelados entre si;
     • assentados os blocos-chave num andar, retoma-se as instruções acima descritas para os demais.

wpeC.jpg (6094 bytes)

 

 

     Observação: recomenda-se os seguintes traços da argamassa (cimento / cal hidratada / areia, em volume):
                        • para alvenaria de vedação: 1 : 2 : 8
                        • para alvenaria estrutural: 1 : 1 : 6.

Fontes: Revista Arquitetura & Construção - jan/98
            Catálogo Técnico da Prensil S/A.

Últimas Dicas

O que faz um pedreiro ?

De forma simples exemplificamos alguns serviços que fazem parte do cotidiano do profissional.

25/10/2013 11:07

O Crescimento Imobiliário na Baixada Santista

A cidade de Santos e região da baixada santista, vive uma intença mudança no cenário imobiliário.

26/11/2012 14:29

Reformando o Banheiro - Dicas

Veja algumas dicas para reforma ou revitalização do seu banheiro.

31/08/2012 19:43


EMPRESAS EM DESTAQUE

Três S Materiais de Construção
Três S Materiais de Construção
Móveis Nossa Senhora de Fátima
Móveis Planejado e Tradicional
Lumiere Projeto e Execução
Atuamos na área da construção civil , reformas e acabamen
Construtora Sulamericana Obras e Serviços LTDA
Filosofia da empresa é: Prazo, Custo e Qualidade dos serviÃ
Madeireira Rubi
Madeireira Rubi Praia Grande
RPM comercio e construção
A RPM construções tem o prazer de você nosso cliente ou f
Center Box
Centerbox Litoral - Envidraçamento de sacadas, Box de vidro
Mil Cores Tintas
Mil Cores Tintas Praia Grande
Mix Tintas Textura e Grafiato
Mix Tintas Textura e Grafiato
RL Madeiras
Maior Distribuidor de Madeiras




Buscar Empresas | Noticias | Dicas | Cadastre-se | Fale Conosco | Anuncie Aqui | Quem Somos | Mão de Obra
Portal da Reforma - Todos os Direitos Reservados - 2018

Desenvolvido por Vinicius Oliveira vinicoliveira@gmail.com